Você deve parar de usar antitranspirante?

 Não usá-los pode ajudar seu corpo a eliminar toxinas, diz pesquisa!

Suor. A palavra por si só já causa uma sensação desagradável em boa parte das pessoas.

Temos cerca de 2,6 milhões de glândulas sudoríparas em nosso corpo e, para boa parte das pessoas, tentar impedir a produção normal de cada uma delas parece ser uma batalha diária; seja por questões estéticas, para não molhar as roupas na área das axilas, seja para disfarçar ou impedir odores desagradáveis.

A indústria cosmética lança, por ano, um gigantesco arsenal para tentar impedir que sua transpiração seja excessiva e mascare o cheiro – que na verdade é produzido pela ação de bactérias na pele, e não pelo suor em si (em sua grande maioria). Estima-se que, só no Brasil, mais de R$ 2 bilhões sejam gastos anualmente com a compra de produtos que prometem segurar a transpiração e o odor.

Novos estudos médicos garantem que o suor é inofensivo e fundamental para a nossa saúde. Sem ele, por exemplo, nosso corpo se inundaria de metais tóxicos. Nossa pele também seria incapaz de curar feridas de maneira eficaz.

Há muito tempo sabe-se que o suor é vital para a regulação da temperatura corporal – e que falhas neste sistema, pode simplesmente ser fatal.

George Havenith, professor de fisiologia e ergonomia ambiental da Universidade de Loughborough, explica: “A única maneira que o corpo tem de resfriar é suar e perder a energia do calor por evaporação. Se isso não acontecer, seu corpo pode superaquecer em um exercício e, se a temperatura ficar acima de 40 ºC, você sofre de exaustão de calor, o que pode ser fatal”.

Existe uma condição chamada anidrose que provoca este problema em seus portadores. As pessoas têm alto risco de sofrer ataques de insolação – o que pode causar danos graves ao cérebro e órgãos internos – porque seus corpos não conseguem regular o mecanismo de transpiração para diminuir a temperatura corporal.

Felizmente, esta é uma condição bastante rara, associada a danos nas glândulas sudoríparas causadas por lesões ou doenças autoimunes.

Todos nós temos níveis de metais tóxicos que se acumulam em nossos corpos. Arsênio, cádmio, chumbo, mercúrio, são comuns em nosso ambiente e também estão presentes em nossos alimentos – embora não devessem.

Quando consumimos mariscos, cereais e vegetais como brócolis, repolho e couve-flor, a contaminação também acontece. Estas plantas absorvem estes metais de seu ambiente e transmitem para nós durante a alimentação. As folhas de tabaco possuem grande acúmulo de cádmio e chumbo, a partir do solo, de acordo com publicação da revista Journal of Environmental and Public Health.

Estes elementos são considerados cancerígenos, além de causarem prejuízos ao nosso sistema nervoso, coração e rins.

Usar antitranspirantes pode impedir o processo natural de excreção destes metais através do suor.

A evidência disponível sugere que médicos deveriam recomendar a transpiração através de exercícios ou saunas, como atividades de baixo risco, com potencial benéfico, para pessoas que estão sofrendo efeitos acumulativos destes elementos tóxicos”, disse George Havenith.

Estudo publicado em 2012, descobriu que as glândulas de suor desempenham um papel fundamental no fornecimento de células estaminais para curar feridas como arranhões, queimaduras e úlceras.

Outra pesquisa publicada por Chris Callewaert, biocientista da Ghent University, na Bélgica, mostra que a grande maioria do suor é sem cheiro. O suor dos dias quentes é provocado por glândulas écrinas, que são numerosas e estão em todo o corpo.

Mas, o suor causado por estresse, medo, ansiedade e excitação sexual é produzido por glândulas apócrinas, que estão sob os braços, virilha, lábio superior e couro cabeludo.

Ele ainda explica que existem dois tipos de bactérias que vivem nas axilas: O tipo bom (estafilococos) que não provoca odor significativo e a ruim (Corynebacterium) que transforma nosso suor em compostos com odor desagradável.

Seu estudo, publicado na revista Archives of Dermatological Research, sugere que antitranspirantes aumentam o nível das bactérias fétidas, o que acaba gerando uma “ação contrária” do que estes cosméticos deveriam oferecer, podendo alterar de forma significativa o odor natural. Ainda segundo ele, usar antitranspirantes constantemente pode levar a uma maior produção de suor com cheiro ruim nas axilas.

 

Fonte  jornalciencia

About Selma Flavio

Selma Flávio – Terapeuta Sistêmica e Vibracional – Partner Internacional Sistema Floral de Bach e outros sistemas florais, EFT (Emotional Freedom Techniques), Taróloga, Constelação Familiar Sistêmica. Formação em Pedagogia, e Educação Transdisciplinar.

Proporciona atendimentos terapêuticos, individuais e grupo, cursos e workshops, em Constelação Familiar e Técnicas Transpessoais.

Maiores informações e agendamentos pelo whatsapp
11-97387.3144 – CTN – SP nº. 0879

www.selmaflavio.com.br
Facebook www.facebook.com/TerapiaDesenvolvimentoPessoal
selmaflavio@gmail.com

Deixe uma resposta