Mito da caverna de Platão


 

Compreender que podem viver e aprender além dos  limites preestabelecidos , é mais complexo que se possa imaginar. Lançar-se ao mundo inclui a necessidade de mudança, sair da  zona de conforto e caminhar em um mundo tangível e complexo. Na sua complexidade aprendendo que são seres capazes de alcançar voos  muito além do que sobrevoam e, acostumados estão.

Se libertar de crenças é calcar um mundo de novidades  repleto de surpresas, aprender, reaprender e viver a vida na sua magnitude.

Arrisque-se, compreenda o universo e transforme-se, não se conforme com as sombras que te ensinaram a cultivar, vá além dos limites riscados por outros.

Transforme a sua realidade!

Selma Flávio

Terapeuta Sistêmica e Vibracional

 

Uso o Mito da Caverna para uma reflexão profunda e até curadora.

 

O Mito da Caverna

O mito fala sobre prisioneiros (desde o nascimento) que vivem presos em correntes numa caverna e que passam todo tempo olhando para a parede do fundo que é iluminada pela luz gerada por uma fogueira. Nesta parede são projetadas sombras de estátuas representando pessoas, animais, plantas e objetos, mostrando cenas e situações do dia-a-dia. Os prisioneiros ficam dando nomes às imagens (sombras), analisando e julgando as situações.

 

Vamos imaginar que um dos prisioneiros fosse forçado a sair das correntes para poder explorar o interior da caverna e o mundo externo. Entraria em contato com a realidade e perceberia que passou a vida toda analisando e julgando apenas imagens projetadas por estátuas. Ao sair da caverna e entrar em contato com o mundo real ficaria encantado com os seres de verdade, com a natureza, com os animais e etc. Voltaria para a caverna para passar todo conhecimento adquirido fora da caverna para seus colegas ainda presos. Porém, seria ridicularizado ao contar tudo o que viu e sentiu, pois seus colegas só conseguem acreditar na realidade que enxergam na parede iluminada da caverna. Os prisioneiros vão o chamar de louco, ameaçando-o de morte caso não pare de falar daquelas ideias consideradas absurdas.

“Alegoria da Caverna” é uma passagem do livro “A República”

 


 

 

About Selma Flavio

Selma Flávio - Resoluções Sistêmicas e Terapias Vibracionais CTN – SP nº. 0879 Tornei-me terapeuta a procura de mim mesma, assim tornei-me uma terapeuta completa, apaixonada pelo que faz e, com prazer e amor no trabalho. Site pessoal www.selmaflavio.com.br 11-97387.3144 Facebook www.facebook.com/TerapiaDesenvolvimentoPessoal e-mail selma@selmaflavio.com.br

Deixe uma resposta